4 de dez de 2010

Amor de amizade


"Eu descobri que nossas diferenças são as coisas mais em comum que temos. Sem você o que seria de mim? Todas as vezes em que algo me derruba e caio em lagrimas, é o seu abraço que me conforta. Todos os conselhos que me fazem lutar vêem de você. As latas de cerveja, os copos de Whisky e as viradas de Tequila não existiriam sem você. Os cigarros não teriam sido abandonados sem sua ajuda. Eu não teria conhecido ele sem você, eu não sorriria hoje se você não existisse na minha vida. Eu não teria uma melhor amiga de verdade se você não fosse a ela.
Até logo, e cada vez que sorrir eu estarei contigo, quando chorar eu vou te abraçar, sempre vou segurar sua mão. Nós prometemos "sempre juntas" e nem o destino mudaria isso. Te amo Duda."

A garota de cabelo preto agora curto, e roupas de luto, chorava. Ela estava em frente ao ultimo depoimento de sua melhor amiga. Ela se lembrava de quando via o cabelo loiro reluzente ser cortado e com o tempo rapado, lembra de quando cortou o seu curto para lhe fazer companhia. Ela lembrava de cada vez que segurava a mão de sua amiga e dizia que tudo iria dar certo. Cada vez que ela ficava mais debilitada devido ao câncer, e cada vez que ela sorria para seu namorado e dizia que estava bem, mesmo sendo mentira. Eduarda jamais se esqueceria de sua ultimas palavras "Não se preocupe, quando for você, eu vou te guiar como você me guiou aqui amiga" seus olhos azuis já não dilatavam, seu corpo ficou desfalecido, e sua boca se tornou pálida e fria para o ultimo beijo de seu Thiago.

Após 60 anos, agora Eduarda estava cansada, sua neta estava sentada na beirada da cama, seu irmão segurando sua mão e pedindo para ela lutar, ela não conseguia dizer muito já que a voz rouca mal conseguia sair de sua boca.
-Não se preocupe Thiago, a Ana veio me buscar.
Como quem adormece, Eduarda fechou os olhos. Choros ao fundo foram abafados por uma sensação de calma. Novamente com 16 anos, as duas garotas deram as mãos e saiam juntas, eram almas gêmeas. Isso é o amor mais puro que existe, é um amor de amizade.

2 de dez de 2010

Não sei se é amor

__Ela: Eu preciso te pedir perdão, eu menti.
_Ele: Como? Mentiu sobre o que? -sua voz rouca estremece ao falar.
__Ela: Todas as vezes que digo que eu tenho certeza do que sinto por você eu minto, eu não sei o que é mas, eu sei que é forte. Não sei se é amor ou não, só sei que a cada dia eu te quero mais, é algo que eu nunca senti. Você me faz arrepiar, sua respiração faz a minha acelerar, seus beijos me esquentam, sua ausência me machuca e seu corpo grita pro meu. Eu não sei o que é mais sei que é como se eu só pertencesse a você, e qualquer outro seria um erro, uma loucura.
_Ele: Então nós mentimos, mas se amor existe acho que é pelo menos bem próximo disso.
-Eles se beijam-

1 de dez de 2010

Mais um *.*


Mais tarde vou postar algo, por enquanto estou agradecendo o outro selinho que eu ganhei da Gabi, do blog Lolita.


Indicados: