22 de nov de 2012

Defenestrar

       Estou sentada sentindo o vento balançar meu cabelo, sentindo essa brisa fria roçar minha pele. O sol se pondo na minha frente e seu calor fraco indo junto. Fecho meus olhos com força, estou-me obrigando a não ver você tão longe de mim. Meus lábios estão secos, porém meus olhos foram inundados enquanto obrigo que fiquem presos, imóveis. Respiro fundo, sinto o ar tomar conta do meu corpo. As lagrimas lutam para cair, lutam para escorrer sobre minha pele marfim manchada de vermelho, mas permitir que elas desçam e admitir que você me feriu.
       Ainda me lembro do seu doce cheiro de canela, do seu abraço, do seu beijo, ainda me lembro do seu gosto. Isso machuca, a cada lembrança de você dói mais. Eu sonho com você todos os dias, e isso me faz acordar em desespero implorando para que essa dor cesse. Pego-me a todo momento viajando em seu olhar, em suas palavras, em sua falsa presença e me sinto sufocada por esse sentimento.
       Preciso te tirar da minha vida, preciso te tirar de dentro de mim. O frio faz meu corpo adormecer e assim dói menos, o frio vai fazer meu coração congelar e assim vai ser mais fácil, mais fácil viver. O pior é saber que estou desistindo, estou me libertando sem querer. Precisava dizer adeus, dizer que é um caminho sem volta, mas não é possível. Não consigo acreditar que estou sentindo tudo isso de novo, mas e pior, agora dói mais, agora alguém me quebrou de verdade. Você me jogou com toda força, foi agressivo de mais. Você disse que não queria me magoar, que tinha medo de me perder.. palavras falsas. Estou apagando meu passado e me livrando dele, estou ficando sem ele. Sem passado, sem viver um presente ou sonhar com um futuro.
       Vou me trancar, vou superar todo esse sentimento que me faz perder a razão, eu sou mais forte que você, ou que a dor que me provocou. Sou superior a sua imaturidade, e quando tudo isso passar a dor vai ser uma vaga lembrança. Meu maior medo e que não sinta minha ausência, não sinta saudade de alguém que quase te amou.
       Os meus sonhos não são mais felizes, te esperei até o amanhecer. Foi proibido, foi bonito mas acabou, e da pior forma possível. O tempo está passando e com ele a dor vai sumir e o sentimento sucumbir ao ódio e ao nojo que vou tomar de você. Que as lagrimas não escorram porque um dia vou me odiar por isso. Amanhã será outro dia, vou caminhar com mais força, vou sorrir com sinceridade, e vou viver com meu amor-próprio.

18 de nov de 2012

Eu só queria..

      Eu queria poder estar sorrindo do seu lado agora, queria poder te abraçar sem medo de me libertar dos seus braços. Queria sentir por um instante que você é realmente meu. Será que posso acreditar que estaremos juntos de verdade em algum momento? Que um dia você irá sentir a minha falta? São tantas perguntas, e eu sei a resposta de todas no fundo. Tento, mentir para mim mesma que nada disso vai acontecer, enquanto você se afasta a cada dia mais de mim. Mas eu já sei que tudo que eu só queria, eu nunca vou ter. E isso não dói tanto assim.. na verdade isso me mata.

7 de nov de 2012

Inexistência

      É tão estranho condicionar a minha felicidade a sua presença. Sinto-me tão imatura por me libertar em textos, por descrever como me sintoaqui.. mas só escondo que na verdade me sinto assim por que você me faz ser tão imatura. Não é a idade, não é o mundo que nos torna tão diferentes, é você mesmo. É essa distância que você coloca entre o que não chega a ser nós. Não existe um a gente e tento me convencer disso todos os dias. 
      O que vivemos, sem títulos é tão tranquilo.. quando estamos juntos. Afinal será que eu consigo ver tudo o que está acontecendo? Já pensei em te dizer adeus, já pensei em desistir de gostar tanto de você, pena que não sei como fazer isso. Estou permitindo que você me magoe, que me faça mal, que me faça sentir vontade de fugir e não me imaginar sem você. Estou me permitindo sofrer, a historia continua a mesma mas o protagonista mudou.
      Sobre tudo que nós estamos não tenho conclusões. Nós não existimos em tempo ou espaço, não possuímos um período que seja, nós nos permitimos momentos soltos e que ficaram em lembranças vagas na sua mente. Segredos guardados que prefiro enterra-los, não suporto conviver com a existência de tais.
      Você me fez derramar algumas poucas lagrimas, porém muito dolorosas. Sinto meu corpo tremer, meu olhar não se levanta, meus olhos estão cheios de lagrimas prontas para escorrer, e mesmo assim não quero que me veja de tal forma, para não sentir culpa. Um dia será tarde de mais, só temo que quando esse tarde de mais chegar você não sinta saudade.. eu e toda a minha imaturidade!
      Esse excesso de inocência que ainda me prende a você, só pode, porque é exatamente ele que eu jamais quero perder. Tudo o que me torna tão menininha como dizem, e como eu odeio quando me chama de algo inha. Odeio o fato de parecer tão pequena, substituível e relevante na sua vida, odeio ainda mais que você seja tão presente na minha.
      Só uma coisa me conforta, a certeza de um fim nessa história tão bagunçada. Espero que esse fim não me mate por dentro como aconteceu uma vez, mas pelo o que vejo é o mínimo que posso esperar. 

21 de out de 2012

Só precisava dizer..


      Essa noite me peguei sonhando com nós dois. Olhos fixos na parede branca, e minha mente cheia de lembranças. Lembranças de um momento tão intenso e tão rápido. Lembro-me como se fosse ontem, seu sorriso maroto me pertencia. Seu cabelo negro entre meus dedos, sua pele marfim, todo aquele conjunto que era tão harmônico.
      Prometo não voltar mais atrás, e te deixar escrever sua história. Não quero te machucar nunca mais, você não merece. Vozes sussurram no meu ouvido seu nome, relembram nossa história e me questionam. São perguntas de mais pra algo complicado de mais. São perguntas sem respostas e outras obvias. Nós tivemos um começo e um meio e nunca um fim. Lamento dizer que não posso escrever ele aqui e te dar um final feliz, um final que você merece.
      Sou egoísta de mais pra te tirar de dentro de mim, mas sou orgulhosa de mais pra admitir que quero que fique aqui pra sempre.  Mantenho as reticências, sem um ponto, sem esperar uma continuação. Espero que continue sorrindo dessa forma que me lembro, espero que consiga sorrir assim sempre e mesmo assim desejo que o sorriso que tanto contemplo pertença somente a mim.
      As palavras não são muito fáceis quando precisam ser pronunciadas, mas quando posso liberta-las aqui não há limites. Espero que esteja bem, espero que não se esqueça de mim, mas não quero nunca mais te magoar, nem por um segundo. Espero que leia tudo o que preciso te dizer sem te magoar, ou te fazer relembrar alguma dor, mas preciso te dizer.
      Sabe tudo o que passamos juntos¿ Nunca vou passar com mais ninguém, aquele espaço que você marcou agora está vazio e não quero que seja preenchido. Por mais que o tempo passe, que conheça outras pessoas um lugar aqui te pertence e isso nunca vai mudar. Você me deixou marcada meu doce sorriso maroto com o perfume amadeirado. Que nós tenhamos sempre um ao outro, mesmo que em pensamentos.

17 de set de 2012

Desejar!



      Ainda não consigo entender o que tudo isso significa. Quando te vejo meu corpo estremece, meu olhar me trai, minhas mãos gelam, meu coração dispara e sinto um arrepiar pleno em segundos. Não sei o que é isso, mas sei que me faz perder o controle. Onde está toda minha autoconfiança agora? Cadê o meu orgulho que me impede de demonstrar meus sentimentos?       Você pode errar, se atrapalhar e cometer faltas comigo e eu mesmo assim me sinto presa a você. Sentir o seu toque, mesmo impedido por uma grossa camada de tecido me faz surtar. Quando escuto a sua voz.. ah a sua voz. Eu perco todos os limites. A noção de tempo e espaço se vai. A gravidade parece não ser aplicada a mim. Sou tão resistente a suas investidas, sou tão forte a sua intervenção, mesmo sabendo que isso não vai durar.       Até quando? Até quando me farei de forte e irei fingir que não me importo com o que você pensa, fala e faz em relação a sua vida. Meu nome pronunciado pelos seus lábios me acalma. Consigo ouvir a sua voz rouca mesmo a distância. Sinto seu abraço por meio de pensamentos, sinto a sua presença em meus sonhos.
      O quão errado pode ser? Sonhar com o impossível, sonhar com você.Sinto uma necessidade louca de te ter para mim, de te consertar e te tornar exemplo. Queria por um segundo acreditar que milagres assim acontecem, mas sei que no fundo ainda resta algo parecido com fé. Não quero traçar um futuro, nem criar falsas expectativas. Enquanto isso banco a difícil, a que não se importa. Permanecerei aqui até que algo me mate, imóvel até que o tempo nos separe de novo.       Espero que seja feliz e sorria todos os dias, que realize seus sonhos e tenha um futuro brilhante. Que ninguém te magoe assim. Esteja sempre bem, porque eu sei que o tempo vai passar para mim e um dia nós poderemos sorrir um pelo outro. 

23 de ago de 2012

Caneta na mão

      Sinto que estou fragmentada, que nem me conheço mais. A noite me lembra você e isso faz a dor voltar. Todos os meus conceitos pularam pela janela. Meus cacos estão esparramos no chão, e ninguém vai junta-los. Vou forçar-me a te esquecer, a deixar de viver por você. A cada segundo que me pego relembrando tudo, me sinto mais esparramada. 
      Preciso gritar mas não consigo, preciso de um abraço mas me falta a coragem de pedi-lo. Preciso que saia da minha vida. Em um único dia, em um único momento me magoou como ninguém, e mesmo assim sonho com você toda noite. Difícil descrever como dói, como pareço viver falsamente. Sou uma estranha. Aquilo que eu mais amava em mim, você destruiu, tudo o que me tornava memorável não passou de uma brincadeira. 
      Como posso? Arrependo-me das circunstâncias, de tê-lo conhecido e mesmo assim não me arrependo de gostar de você. Agora é o momento de me congelar, de esquecer o fato de estar em um capítulo da minha história. É meu momento, preciso me amar.. e pela primeira vez não consigo. Esse seu feitiço, esse seu olhar, seu toque sinto-me presa. Eu preciso de tempo, e imploro para que ele exista para mim. 
      Gostaria de saber como é possível você ter todo esse poder sobre mim, como é possível me magoar assim. Sei que continua dormindo a noite tranquilamente, vivendo intensamente.. e mesmo assim não consigo te evitar. A sua vida segue normalmente e a minha se tornou um suplício. Basta-me uma caneta na mão, estou tentando fazer essa dor acabar.

18 de ago de 2012

Questiono-me



Só porque a coragem de demonstrar o que eu senti demora a chegar, não quer dizer que você foi a ultima opção.


      Quem nunca teve uma dúvida que fez o coração pesar uma tonelada? Os lábios ficam secos, os pensamentos viram uma bagunça. Nada mais é certo, nada mais é concreto. Posso sorrir, permanecer imutável de forma serena por fora, mas dentro de mim os cacos estão tentando se juntar. Nada se encaixa, nada se completa enquanto aquele pequeno fragmento não aparecer. 

      Aquele pequenino pedaço de vidro, a menor lasca que se tem do vaso. É ele que faz com que essa bagunça seja fixa, essa duvida se mantenha presente. Todos os dias rostos falsamente amistosos, vozes forçadamente aveludadas com um olhar opaco e gestos frenéticos me procuram convencer do "óbvio". Mas se o "óbvio" para eles for um grande engano? Estou revivendo nosso passado, e relembrando todos os acontecimento e buscando respostas. Não sei se meu coração me força a acreditar em pseudo evidências ou se é a razão analisando os fatos. Temo que a realidade seja apenas uma ilusão, e enquanto isso o conflito instalado permanece. 


      Poderia jogar a culpa de toda essa história sem sentido em você e no seu 'eu' questionável. No seu 'eu' tão indeciso. Mas não posso, já que a culpa é minha. Eu joguei este vaso no chão e estou tentando remonta-lo sozinha. Embora quisesse gritar por sua ajuda, o receio é maior . Minha áurea está muito fraca, meus motivos estão sendo reprimidos enquanto busco respostas. Um dia minhas questões serão resolvidas e esse mistério se solucionará, mas isso somente quando amadurecer e começar a tomar decisões. 

      Enquanto isso esse jogo continua, onde ninguém demonstra nada ou onde ninguém sem importa com nada. Ganhar ou perder é uma questão de opinião.

6 de ago de 2012

Completa felicidade

      O som ensurdecedor machucava meus ouvidos. Sorrisos estavam presentes em meus lábios, eles podiam ser momentâneos mas existiam. Então veio ele, um breve esbarrão e o destino te colocou na minha frente de novo. Minha expressão variava em segundos, primeiro o susto seguido por uma onda de alegria e então o medo vem com toda força. 


      Quando seus lábios desenhados se abriram e a sua voz inundou meus ouvidos me perdi. Eu sabia o que me esperava e mesmo assim não pude resistir. Gritos em meus pensamentos, pediam socorro, pediam para que fosse embora. Mais uma vez fugi da razão. Ele sussurrava em meus ouvidos, sua voz tão aveludada. Meu último lapso de consciência, e o seu toque me fez perder o rumo. Sua pele macia de encontro com a minha, aquele foi o momento. 

      O som, as pessoas, o mundo de repente desapareceu sobre meus pés. Sentia uma sintonia estranha, me entreguei. Um beijo suave, do qual eu tinha sede. Um abraço apertado do qual eu jamais mataria toda a saudade. Então entendi o significado da perfeição, era aquele momento. Sua pele de um tom tão doce, contrastava perfeitamente com a minha. Seu cabelo fino e escuro, seus olhos escuros como a noite, eu me senti completa por um instante. Te ter ali, em meus braços foi a minha completa felicidade.

16 de jul de 2012

Observar


      Suas indecisões giravam em sua mente perturbada. O doce sorriso que antes estampava seu rosto deu lugar a um olhar opaco e uma linha horizontal, não havia nenhuma emoção presente em seu rosto. Todos a sua volta admiravam e buscavam um traço de humanidade que fosse. Seu cabelo não era nada chamativo, nem fugia do comum. Seus traços eram envoltos por uma pele rosada. Ela era simples e tão comum. O que chamava atenção para aquela garota, o que atraia entre todos ali era o seu jeito. Tão fria e distante que parecia inalcançável, e era. 




      O liquido quente e doce era o único vicio que restara a ela. Propósitos novos, vida nova. Ela determinou missões, já escolheu o seu futuro. Surpresas sempre acontecem mas ela está disposta a fazer com que sua vida seja monótona e totalmente chata.
      Os olhos castanhos se viravam de forma discreta e disfarçadamente por baixo dos cílios para observar tudo o que estava a sua volta. A menina de cachos dourados e vestido azul céu que segurava na mão da mãe, aquela confiança e carinho transmitido pelo encontro do olhar das duas. Os casais inclusive aquele mais distante cuja menina era nova de mais porém ele não era tão velho assim, e como o sorriso de ambos se encaixavam. As mulheres sempre apressadas e entre elas, aquela mais forte, com um terno e uma pasta, que passava com passos largos e rápidos enquanto discutia com veemência no telefone. Mas o que mais chamou atenção mesmo foi um casal de velhinhos bem longe, o senhor segurava a mão da companheira e carregava sua bolsa, enquanto ela recostava seu rosto marcado pelo tempo no ombro do fiel companheiro de toda uma vida.
      A garota paralisou seu olhar ao encontrar aqueles dois ao fundo de sua visão. O cabelo grisalho dos dois juntos se tornou tão perfeito vendo a distância. Ela chegou a pensar que seria uma boa meta, porém seria a mais difícil. Não a colocou em sua lista e nem marcou em seus pensamentos, ela a determinou de forma mais forte. A garota estampou em seu coração, agora nem o tempo a faria esquecer das letras ou das ideias, era um fato a ser encontrado.

8 de jun de 2012

forgetting

       O tempo passa, o tick e tack não espera. Seus lábios se separam demonstrando uma pseudo felicidade, provocada pelo líquido amargo que dominava seus sentidos. Seus olhos foram lacrados por instantes, o suficiente para se pressionar, segurar e esquecer onde estava. Aquele líquido a fazia rir, perder o equilíbrio e a tornava mais sociável. Vozes sussurravam em seu ouvido palavras doces, músicas melosas, declarações e pedidos carinhosos. 
       Ela se torturava a cada gole, a cada respirar. Permanecer ali era suicídio. Ela permitiu que seus cílios se afastassem, seu olhar revelava de forma distante uma dor. Sua mão ergueu, sua cabeça se virou de forma nada delicada para trás e o líquido escorreu por sua garganta até a última gota. Pessoas sorriam a sua volta, argumentavam sobre o momento. Argumentos frágeis, mas ela sabe que é tudo passageiro.

15 de abr de 2012

Acordar


        Meus lábios estavam secos e rachados, podia sentir o leve gosto de ferro ao tentar umedecê-los, meus olhos estavam fechados como se estivesse presa em um sono profundo. Sentia meu corpo ser banhado pela luz da lua, ela era tão branca e tão intensa, entrava no quarto junto com uma leve brisa em um inicio de outono.  Por um instante quis viver tudo aquilo e sentir o que realmente estava acontecendo.
Destranquei-me desse medo insistente e senti como se estivesse sendo quebrada em mil pedaços, senti meu eu desmoronar dentro desse recipiente frágil. Podia sentir o sangue percorrer minhas veias, o ar preencher e esvaziar os meus pulmões, e cacos dentro de mim que um dia formaram um coração.  A dor por mais intensa que fosse era necessária e assim quem sabe meu coração acordasse. Mesmo que cheio de medo ele balbuciou algumas batidas. Agora basta esperar o seu doce levantar.

28 de mar de 2012

Tempo decorrido: indeterminado


Tem se tornado tão facil observar o sol se por. Posso estar sentada, sozinha admirando o céu ser riscado por tons alaranjados até que o azul escuro comece a encoli-los. Minha vida têm sido um eterno nascer e renascer. Quando o sol se põe eu sinto meu coração mais pesado, como se fosse feito de chumbo. Então ele volta, ele renasce e meu coração dorminhoco se torna uma pluma.

Aos poucos meu sorriso está se transformando, está quase fácil sorrir novamente. A esperança está voltando, meio difusa mas está voltando. Posso sentir as gotas da chuva tocarem minha pele. Elas batem com força, como se desejassem perfura-la. Não desejo nada eterno, a eternidade me prende a promessas. Eu também não desejo nada breve nem duradouro, que seja desconhecido mas que seja intenso. Que meu sorriso não seja solitário. Que ao abrir os olhos e me deparar com a noite profunda possa dizer "eu venci".

26 de mar de 2012

Reticências

Engolir minha vontade, minha saudade vem tornando-se um mártir. Uma história que nos nunca terminamos de escrever. Esse conto cheio de "então..", "talvez", "será",e "finalmente" que nunca determinaram nada. As reticências são os únicos pontos que eu ainda me permito colocar entre nós. Enquanto meus braços permanecem cruzados, meu maxilar duro e meu coração.. Ele permanece remendado e adormecido. Em certos momentos ele chega a cambalear, e tentar se levantar, mas um motivo ainda não apareceu. 
O sorriso se mantem opaco, o brilho no meu olhar se foi, e minha mente se ocupa com as trivialidades da vida. Meus olhos esquadrinham as letras, meus lábios se movimentam emitindo sons, e meu raciocínio busca ambiguidades que não existem. Não vou obrigar-me a acabar nada, e nem a começar de novo. Estou experimentando aquele tal de "esperar acontecer".

3 de mar de 2012

Viver

Ao abrir meus olhos me deparei com pequenos raios de sol adentrando em meu quarto. O calor me fazia sentir agonia. Levantei-me, e segui meu dia. Senti cada gota gelada se chocar com minha pele marfim e refresca-la, senti o toque do tecido acompanhar o formato do meu corpo, algumas borrifadas e senti o meu perfume suave. Consumi aquele que aquele líquido escuro e quente, aquele meu eterno vicio. Então girei a maçaneta e senti a leve brisa entrar.Ao me deparar com o dia abri um leve sorriso, não do tipo contente, mas do tipo esperançoso. Como de se esperar, em um dia em que a maioria aproveita para dormir, continuei com meus vícios Apenas dois quarteirões tiveram que ser percorridos e eu estava em meio ao verde de novo. Aquela paz e aquele frescor me acolheram plenamente. Abri meu livro e comecei a ler, eu estava-me refugiando de tudo e de todos. Uma tarde calma e extremamente gratificante... O dia passou...O que realmente me atordoava era a solidão. A inercia da minha noite que sempre parecia longa de mais, e ela chegou. No céu não se viam estrelas e elas me faziam falta. Em vez de pontos brilhantes no alto, em minha volta as luzes chamuscavam e gritavam por mim. Nada daquilo me pertencia, nada daquilo me descrevia.Deitei em minha cama, me segurava para não escrever nada, nem ao menos um rascunho escondido. Isso seria enganar a mim mesma. Então a dor me consumiu meus dedos estavam esticados, minha mente transbordava de ideias. Fechei os olhos com força, a fim de garantir um sono profundo e sem devaneios. Ele não se atreveu a aparecer.Meus dedos vasculharam o teclado que sempre me acompanha e começaram o "clack clack" sem parar. Então eu finalmente entendi, eu não preciso de inspiração nova, eu nem mesmo perdi a minha. Prendi todos os meus medos junto com meus sonhos e eles estavam se consumindo. Não preciso de razão alguma, preciso aceitar aquelas que existem em mim. Mudei minhas crenças, esse sentimento tão lindo existe, e não e preciso um romance para prova-lo. Fé, esperança, cumplicidade são maneiras de amar diferentes e elas existem em mim. Não quero forçar a saída de ninguém da minha vida. Estou começando a entender que viver não se baseia em nada, viver é a base de tudo.

23 de fev de 2012

Seja como for

Faz falta. Mas o problema é que eu já cansei de correr atrás. 

Correr atras de um sentimento que eu nem mesmo sei se existe, de um companheirismo que nem considero possível. Amor é algo tão distante que se torna inexistente. 

Tento escrever textos bem elaborados, mas sempre as palavras me parecem tão ambíguas. Poderia culpar tudo em volta como se me levasse a agir dessa forma, mas sou apenas eu tentando viver, tentando seguir. Meus textos nunca abandonam este mesmo tema. Nunca abandonam a mesma pessoa. Por um momento queria mudar de assunto e quem sabe assim poderia seguir em frente. Por um momento admito que minha mente viajou a outro plano, mas como sempre o medo.. aah como sempre o medo, então eu volto. 
Há tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo, estou me tornando cada vez mais sozinha. Todos estão tornando cada vez mais distantes. Eu só posso culpar uma pessoa, eu mesma. Olho em volta e observo a vida caminhando, o mundo girando. Somente eu continuo aqui parada, como uma estátua. Não por escolha mas por uma tentativa de fazer parte. Vou me privar da minha única liberdade. As palavras que sempre me acompanham estão sendo deixadas de lado. Estou apenas em busca de um caminho, de uma resposta. Desejo apenas descobrir o que me espera. 

Nada nunca acontece. Seja como tiver que ser. Vou guardar-me atras desses tantos rascunhos. Que isto seja apenas um até logo. Espero conseguir abrir os olhos e encontrar aquela inspiração que já possui. Sorrir é apenas uma consequência, o que eu realmente desejo é viver. Sem promessas ou esperanças. Estou desistindo de só observar, estou começando a agir.

7 de fev de 2012

Vai passar!

Eu acho que é a minha vez. Minha vez de ser ignorada e ser a segunda opção. Mesmo que o amor não exista para mim, mesmo que nada de romântico seja realmente confortável para mim, não quer dizer que eu dispenso a chance de viver algo assim. Embora não me orgulhe de minhas escolhas e do meu modo de agir, não significa que mudaria certas ações. Por mais que olhos avulsos observe em meus lábios um sorriso radiante, este nunca e capaz de me fazer feliz. 
Sinto-me como uma delinquente, meu coração acelerado e minhas mãos trêmulas denunciam a minha angústia. Sou facilmente tachada de frágil, contida e cúmplice, só nunca tive certeza se expressam qualidades ou defeitos. Sinto-me tão antiga em certos momentos, como se estivesse fora do tempo certo. Gostaria de poder sorrir de verdade, e do meu jeito. É difícil despedir-me de algo que ainda não conclui, é difícil ser madura quando não sou. Estou esperando, sempre esperando e esse tem sido meu erro grotesco. Viver é um termo sem extremos limites.
Gostaria de ter um apoio, um porto seguro nesses momentos, alguém para me repreender, apoiar, gritar comigo e me abraçar quando necessário. Enquanto nada realmente acontece, eu continuo vivendo e esperando. Continuo agindo conforme minha mente e exigindo cada vez mais de mim. Mesmo que me torture com meu medo de exageros ou falhas, a certeza de que nada e eterno me conforta deliberadamente.

8 de jan de 2012

Dizer adeus


Esta sendo difícil de mais para que eu possa permitir que você vá. Difícil de mais te deixar partir de vez. Em todos os momentos te enxergo ao meu lado e imagino se também faz o mesmo. Gostaria de perder o controle e esquecer todas as razoes as quais me mantem longe de você. Eu desejo que por um momento possa parar de mentir que já não sinto nada quando você me abraça ou quando a sua pele simplesmente toca na minha. Percebo que todo esse tempo foi em vão, mas mesmo assim não vou desperdiça-lo. 
Posso sorrir da forma mais esplêndida enquanto meus olhos faíscam e mesmo assim será um sorriso morto. Desculpe-me mas não sou capaz de me permitir sentir algo, depois de tudo o que aconteceu. Estou pedindo que viva a sua vida. Aproveite, pois escrever uma historia de amor com final alegre jamais fez parte do meu roteiro, mas tenho certeza que e o seu tem um felizes para sempre. Mesmo que eu precise de você eu não me permitirei tê-lo, seria muito egoísmo Quero apenas pedir para que não se afaste mas não me torture com a sua falsa presença também. 
A menina vasculhou erros em todo o texto e sorriu ao ver que sua escrita estava seca, porem verdadeira. Cada frase expressava com delicadeza o que ela sentia, e o que ela desejava a ele. A questão era quando ela enviaria e se ela cumpriria tal ato. A garota deixou o papel sobre a cama e admirava a sua despedida, estava na hora de partir e ela não sabia como dizer adeus.