30 de ago de 2010

Vicio não consumado


As palavras que antes me ajudavam a respirar aliviada, hoje fogem de mim. Meu maior vicio não pode ser consumado, a êxtase que eu já não sinto me percorrer a tanto tempo, preciso de socorro. Retire-me daqui antes que entre em colapso, eu preciso adquirir de volta todo aquele calor, toda aquela fome por palavras, por frases, por textos que me completam.
Eu descobri que sou movida pelo calor de um sentimento o qual pra mim morreu, me sinto fria, congelada por dentro, estar com alguém talvez seja errado, quando for a busca por algo que não existe, não passa de um plano irreal e improvável. O fracasso da minha vida que desmorona, agindo como vitima do meu próprio crime, quero ir além de tudo o que está na minha frente, o teatro bem elaborado segue com seu estereotipo criado a fim de garantias lucrativas.
Cansei de fazer parte dos planos de todos, e não sonhar algo possível. Preciso me renovar e me inspirar, as falta de palavras me sufoca, sinto a ausência da minha alma, meu mundo real, meu tão dito mundo concreto tem me levado ao fundo, obrigações as quais me dedico me arrancaram do prazer já vivido um dia. As estrelas já não fazem mais sentido, a lua tem se escondido entre as nuvens, tem sido difícil ver as luzes que antes brilhavam em torno de mim. Me sinto oprimida pelas minhas próprias crenças tão imaturas.

18 de ago de 2010

Garotos

Seus olhos antes brilhantes agora opacos com um liquido translúcido e salgado escorrendo sobre sua pele marfim. Seu sorriso torto agora abafado por um grito de desespero, sua vida antes cheia de cores, agora apagada sobre desenhos monocromáticos sem sentimentos bons.
Tudo que nós sempre acreditamos que vai poder ser real, nos surpreendemos com a ilusão bem elaborada pelos personagens principais, nada passa de uma peça bem ensaiada, que nós garotas sempre chegamos atrasadas de mais pra podermos fazer parte do felizes para sempre.


Garotas, tantas vezes dizem que nós somos complicadas quando na realidade, garotos vocês que nos tornam assim.

9 de ago de 2010

Capítulo fechado


Lamento pelas lagrimas escorridas, mas lembro com carinho das frases declaradas. Peço-lhe perdão por não ter sido completamente como desejava, e lhe agradeço por ter sido exatamente o que eu precisava. Agora nós podemos nos despedir, enfim o adeus é dito e não há mais lagrimas escorrendo sobre qualquer que seja a face, olhares de saudades podem existir, corações apertados, mas também a liberdade e a satisfação de poder ter vivido.
Você agora segue seu caminho com alguém ao seu lado, e fico feliz por estar sorrindo sem medo. Eu sigo o meu em busca de um ombro, embora não tenha alguém pra me seguir lado a lado eu sigo em frente sorrindo. Palavras ainda não foram inventadas pra descrever tudo o que vivemos, nem mesmo o que sentimos, mas com certeza algumas podem tentar descrever como estamos. Sinto-me tão confusa, já não sei medir o que senti e o que sinto, por quem mesmo que seja você. Foi bom enquanto durou, nada pode ser perfeito, a vida simplesmente segue seu rumo. Eu sinto como se tivesse acabado de terminar um capitulo de um livro, e a história ficasse ali, eterna porem já terminada.

3 de ago de 2010

Memorias esquecidas


Ela procura o ar. Ele gargalha. Sua vida a engana. Seus desejos são atendidos. O tempo passa e a vida corre. Ele é feliz ao lado de outra. Ela procura seu sorriso em toda parte. Ele esta acompanhado de seu filho em seu jardim. Ela o busca em lembranças que restaram no lugar aonde se encontravam. Ele admira o nascer do sol alegre por estar aonde queria. Ela observa seu ultimo crepúsculo escurecendo, escurecendo, está escuro de mais pra saber se..