15 de abr de 2012

Acordar


        Meus lábios estavam secos e rachados, podia sentir o leve gosto de ferro ao tentar umedecê-los, meus olhos estavam fechados como se estivesse presa em um sono profundo. Sentia meu corpo ser banhado pela luz da lua, ela era tão branca e tão intensa, entrava no quarto junto com uma leve brisa em um inicio de outono.  Por um instante quis viver tudo aquilo e sentir o que realmente estava acontecendo.
Destranquei-me desse medo insistente e senti como se estivesse sendo quebrada em mil pedaços, senti meu eu desmoronar dentro desse recipiente frágil. Podia sentir o sangue percorrer minhas veias, o ar preencher e esvaziar os meus pulmões, e cacos dentro de mim que um dia formaram um coração.  A dor por mais intensa que fosse era necessária e assim quem sabe meu coração acordasse. Mesmo que cheio de medo ele balbuciou algumas batidas. Agora basta esperar o seu doce levantar.