26 de mai de 2010

Doce vingança

Agora quem vai assombrar os seus sonhos, atormentar a sua mente e dominar os seus atos serei eu. Eu vou te fazer pedir por clemência, eu quero que chore e grite como você me levava a fazer todas as noites, depois de mais um pesadelo. É a sua vez de viver entre devaneios, sem saber separar a realidade da ilusão. Meu travesseiro já não e mais forçado a abafar meus momentos de crise, agora já não sinto necessidade de me afundar entre lagrimas. Enfim eu superei a sua influência, embora alguém tenha me acorrentado a uma arvore caída na estrada, logo vou me livrar de toda essa pressão. Você já não faz efeito em mim, mas vai me pagar por cada suspiro.

24 de mai de 2010

Enfim eu te odeio.

Eu odeio tudo que você representou, odeio tudo o que você me fez sentir. Eu odeio tudo o que um dia eu já gostei. Odeio seu jeito de olhar pra mim, o seu jeito de falar comigo. Odeio quando você fala coisas bonitas e odeio acima de tudo quando você gosta de mim.

20 de mai de 2010

Me achei quando te perdi


Eu me deixei levar pelo toque de sua pele e pelo som da sua voz tempo de mais. Permiti-me perder entre todos esses delírios e me esqueci de aonde deveria ficar. E talvez pela falta do seu olhar me vigiando, eu andei em direção a um horizonte sem aurora, o céu era iluminado por um grande arco fino de luz branca, que enfim me levou a crer que tudo tem um recomeço, e se existe recomeço é porque existe um fim.

19 de mai de 2010

Alma navegante

Eu sentia o escorrer das lagrimas pelo meu rosto, elas eram insistentes e não pediam licença. O escorregar daquele liquido frio sobre o meu rosto ardente era uma forma de deixar a dor passar, era uma maneira de dizer “O tempo cura”, o telefone ao meu lado grita por mim sem parar, mas meus olhos se recusam a abrir, minha boca a se mover e minhas mãos a buscá-lo.
Meu coração esteve o dia todo apertado como há meses atrás, e agora eu sei o porque, eu acordei de novo de um sonho que não queria acordar. Vejo-me navegando sem rumo após a tempestade, sou a minha própria tripulação enquanto perdi o meu único mapa para o porto, minha bússola já não aponta para lugar algum. Estou fadada a morte embora tente evita-la. É difícil aceitar, mas não impossível, o pouco que havia restado de mim, está perdido no fundo do oceano.
O fim já não me atormenta mais, o que me apavora é continuar vivendo.

17 de mai de 2010

S.O.S.



Assim que aquela voz que tentava me reconfortar, que tentava me dizer “Você é melhor que tudo isso.” Me contou sobre o que se tratava todo aquele estardalhaço, eu perdi o meu próprio controle. Vi-me deitando sobre o meu travesseiro e apertando o celular contra meu próprio corpo, meu coração batia tão devagar, que quase não bombeava o sangue pelo corpo, eu sentia minhas pernas perderem as forças e minhas mãos tremeres. Eu errei ao tentar fazer tudo isso real, eu errei ao obrigar esse sentimento a nascer.
Pela segunda vez você repetia a mesma cena comigo, pela segunda vez você iria me fazer chorar. Acontece que já chega de brincar comigo, já fiz esse papel o suficiente. Vou viver minha vida e você vai viver a sua. Quando se arrepender de novo, não me venha pedir perdão, e quando quiser mentir de novo procure outra que lhe aguente falar frases soltas da realidade. Você foi como um cobertor que me aquecia na tempestade, e agora eu não consigo encontrar. Eu ainda suporto algum tempo antes de me sentir sufocada a ponto de querer gritar por ajuda.
Eu não naufraguei não se engane achando isso. Eu não preciso de um S.O.S. afinal de contas já me salvei antes sozinha. Você soube me fazer sorrir, mas nada disso valeu.

15 de mai de 2010

Again.


Vejo-me diante de diferentes caminhos, eu estou na mesma estrada que estive meses atrás, não posso dar nenhum passo pra traz e não sei qual caminho escolher, bem na minha frente existe uma bifurcação que eu não consigo enxergar um palmo a frente. A neblina é tão densa que as únicas coisas visíveis são os meus pés sombreados logo abaixo de mim e a estrada de ferro com a terra, não sei aonde cada caminho vai me levar, não sei a qual recomeço e eu tenho medo do que vou encontrar, sou covarde de mais pra poder decidir sem ver.
De um lado tem o incerto e inseguro, o que eu quero, mas não devo querer o que eu sei que quando pisar meu coração pode parar de novo e meus olhos se mergulharem em lagrimas, e do outro o inesperado e corrosivo, aonde posso passar dias esperando por algo que pode não chegar, posso sonhar varias noites com o inatingível. O único concreto nesse caminho são decisões já tomadas independentemente do final.
Escolhas não para algo próximo mais para algo decisivo e concreto no futuro. Algo em que um dia vou ter de seguir, não por escolha minha e sim por dependência de alguém.

13 de mai de 2010

Desejo





"Desejo primeiro que você ame,

E que amando, também seja amado.

E que se não for, seja breve em esquecer.

E que esquecendo, não guarde mágoa.

Desejo, pois, que não seja assim,

Mas se for, saiba ser sem desesperar.


Desejo também que tenha amigos,

Que mesmo maus e inconseqüentes,

Sejam corajosos e fiéis,

E que pelo menos num deles

Você possa confiar sem duvidar.

E porque a vida é assim,

Desejo ainda que você tenha inimigos.

Nem muitos, nem poucos,

Mas na medida exata para que, algumas vezes,

Você se interpele a respeito

De suas próprias certezas.

E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,

Para que você não se sinta demasiado seguro.


Desejo depois que você seja útil,

Mas não insubstituível.

E que nos maus momentos,

Quando não restar mais nada,

Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.


Desejo ainda que você seja tolerante,

Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,

Mas com os que erram muito e irremediavelmente,

E que fazendo bom uso dessa tolerância,

Você sirva de exemplo aos outros.


Desejo que você, sendo jovem,

Não amadureça depressa demais,

E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer

E que sendo velho, não se dedique ao desespero.

Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e

É preciso deixar que eles escorram por entre nós.


Desejo por sinal que você seja triste,

Não o ano todo, mas apenas um dia.

Mas que nesse dia descubra

Que o riso diário é bom,

O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.


Desejo que você descubra ,

Com o máximo de urgência,

Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,

Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.


Desejo ainda que você afague um gato,

Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro

Erguer triunfante o seu canto matinal

Porque, assim, você se sentirá bem por nada.


Desejo também que você plante uma semente,

Por mais minúscula que seja,

E acompanhe o seu crescimento,

Para que você saiba de quantas

Muitas vidas é feita uma árvore.


Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,

Porque é preciso ser prático.

E que pelo menos uma vez por ano

Coloque um pouco dele

Na sua frente e diga "Isso é meu",

Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.


Desejo também que nenhum de seus afetos morra,

Por ele e por você,

Mas que se morrer, você possa chorar

Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.


Desejo por fim que você sendo homem,

Tenha uma boa mulher,

E que sendo mulher,

Tenha um bom homem

E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,

E quando estiverem exaustos e sorridentes,

Ainda haja amor para recomeçar.


E se tudo isso acontecer,

Não tenho mais nada a te desejar ".

Victor Hugo

4 de mai de 2010

Eu te amo


Eles eram totalmente diferentes, enquanto ele era o lider do time de futebol, os professores o criticavam. Ela era a menina que os professores admiravam, marcada no tornozelo direito uma corrente quebrada com borboletas voando em volta, uma flor de lótus vermelha em seu ombro esquerdo. Seu jeito de vestir chamava atenção com vermelho e preto predominando, onde passava era notada e as pessoas comentavam.
Embora ele fosse o garoto exemplo e o popular do colégio enquanto ela era a garota complicada e que todos evitavam, eles se completavam. Diferentes das lideres de torcida que antes o acompanhava ela era real, e dos garotos com piercing por todo o rosto que a abraçavam ele era verdadeiro. As coisas não precisam ser "pré-definidas", não podem ser decididas assim por estereótipos. Pela primeira vez ele não se sentiu bajulado, e pela primeira vez ela sentiu que tinha um lugar. Enfim eles puderam pronunciar e escutar um "eu te amo" que nao fosse ficção.

3 de mai de 2010

Outro alguem.


Era uma noite de outono, todos a minha volta sorriam, eles estavam agitados e eu os via levar aos labios um recepiente feito de metal que continha uma bebida gelada e amarga. Você sorria ao lado de outra e olhava pra mim sem me notar, em uma mão tinha um copo de wisk e no outro você segurava a mão de uma menina que o tempo todo precisava da sua atenção, que se jogava para garantir que seus olhos se mantivessem presos a ela e ao seu corpo.



Você estava pouco distante de mim fisicamente, porem eu me via totalmente esquecida em um canto, e sendo ignorada. Acontece que você não era o unico ali, haviam outros. Se você não olhasse para mim eles olhariam, se nao me desse atenção esses outros me dariam. Alguem entre tantos me buscava entre olhares, me abraçava com delicadesa, me mantinha presa a ele como você fizera um dia.



A noite fria passou e você continuou distante de mim, dois dias depois você então vem me procurar e me dizer " eu te amo" acontece, que os olhos que me procuraram, os braços que me aqueceram e os labios que me tiraram da razão agora estavam ao meu lado, e eu não vou ser a menina que te abraça e te pede atenção constantemente, e nem a menina que te assiste de longe e guarda o que sente, vou ser a garota que te esqueceu e agora sorri ao lado de outro alguem.
P.S. Miih *.* bgd pelas fotos e os conselhos

2 de mai de 2010

Motivos


Nós mentimos ou para magoarmos alguem ou para pouparmos alguem da dor, acontece que quando tentamos fazer bem a alguem erramos, quando tentamos fazer com que a pessoa não se machuque nós a machucamos. Mentir mesmo pelos motivos "certos" em que acreditamos é errado. Falar a verdade pode machucar pessoas, pode ser dificil de ser aceita mas tambem é preciso, quando mentimos precisamos criar mais mentiras para torna-las verdades, acontece que isso nunca acaba. Mentiras novas vão precisar ser contadas.

É como um ciclo vicioso, quando você começa com uma historia pode ser que ela demore a acabar ou não, mas pode ter certeza que ela vai ter um fim. Só que você não vai machucar só a pessoa, vai se machucar, e ia ter sido melhor se tivesse contado tudo desde o começo. Acontece que somos humanos e nem sempre fazemos as escohas certas. Quando pensamos apenas na gente, magoamos quem mais amamos por nossos caprichos. Se desistimos de certas opções que nos trariam felicidade, se mentimos para alguem sorrir, machucamos alguem que nos ama. Mas bem todos erram e todos acertam algum dia, só é preciso esperar.