22 de nov de 2012

Defenestrar

       Estou sentada sentindo o vento balançar meu cabelo, sentindo essa brisa fria roçar minha pele. O sol se pondo na minha frente e seu calor fraco indo junto. Fecho meus olhos com força, estou-me obrigando a não ver você tão longe de mim. Meus lábios estão secos, porém meus olhos foram inundados enquanto obrigo que fiquem presos, imóveis. Respiro fundo, sinto o ar tomar conta do meu corpo. As lagrimas lutam para cair, lutam para escorrer sobre minha pele marfim manchada de vermelho, mas permitir que elas desçam e admitir que você me feriu.
       Ainda me lembro do seu doce cheiro de canela, do seu abraço, do seu beijo, ainda me lembro do seu gosto. Isso machuca, a cada lembrança de você dói mais. Eu sonho com você todos os dias, e isso me faz acordar em desespero implorando para que essa dor cesse. Pego-me a todo momento viajando em seu olhar, em suas palavras, em sua falsa presença e me sinto sufocada por esse sentimento.
       Preciso te tirar da minha vida, preciso te tirar de dentro de mim. O frio faz meu corpo adormecer e assim dói menos, o frio vai fazer meu coração congelar e assim vai ser mais fácil, mais fácil viver. O pior é saber que estou desistindo, estou me libertando sem querer. Precisava dizer adeus, dizer que é um caminho sem volta, mas não é possível. Não consigo acreditar que estou sentindo tudo isso de novo, mas e pior, agora dói mais, agora alguém me quebrou de verdade. Você me jogou com toda força, foi agressivo de mais. Você disse que não queria me magoar, que tinha medo de me perder.. palavras falsas. Estou apagando meu passado e me livrando dele, estou ficando sem ele. Sem passado, sem viver um presente ou sonhar com um futuro.
       Vou me trancar, vou superar todo esse sentimento que me faz perder a razão, eu sou mais forte que você, ou que a dor que me provocou. Sou superior a sua imaturidade, e quando tudo isso passar a dor vai ser uma vaga lembrança. Meu maior medo e que não sinta minha ausência, não sinta saudade de alguém que quase te amou.
       Os meus sonhos não são mais felizes, te esperei até o amanhecer. Foi proibido, foi bonito mas acabou, e da pior forma possível. O tempo está passando e com ele a dor vai sumir e o sentimento sucumbir ao ódio e ao nojo que vou tomar de você. Que as lagrimas não escorram porque um dia vou me odiar por isso. Amanhã será outro dia, vou caminhar com mais força, vou sorrir com sinceridade, e vou viver com meu amor-próprio.

18 de nov de 2012

Eu só queria..

      Eu queria poder estar sorrindo do seu lado agora, queria poder te abraçar sem medo de me libertar dos seus braços. Queria sentir por um instante que você é realmente meu. Será que posso acreditar que estaremos juntos de verdade em algum momento? Que um dia você irá sentir a minha falta? São tantas perguntas, e eu sei a resposta de todas no fundo. Tento, mentir para mim mesma que nada disso vai acontecer, enquanto você se afasta a cada dia mais de mim. Mas eu já sei que tudo que eu só queria, eu nunca vou ter. E isso não dói tanto assim.. na verdade isso me mata.

7 de nov de 2012

Inexistência

      É tão estranho condicionar a minha felicidade a sua presença. Sinto-me tão imatura por me libertar em textos, por descrever como me sintoaqui.. mas só escondo que na verdade me sinto assim por que você me faz ser tão imatura. Não é a idade, não é o mundo que nos torna tão diferentes, é você mesmo. É essa distância que você coloca entre o que não chega a ser nós. Não existe um a gente e tento me convencer disso todos os dias. 
      O que vivemos, sem títulos é tão tranquilo.. quando estamos juntos. Afinal será que eu consigo ver tudo o que está acontecendo? Já pensei em te dizer adeus, já pensei em desistir de gostar tanto de você, pena que não sei como fazer isso. Estou permitindo que você me magoe, que me faça mal, que me faça sentir vontade de fugir e não me imaginar sem você. Estou me permitindo sofrer, a historia continua a mesma mas o protagonista mudou.
      Sobre tudo que nós estamos não tenho conclusões. Nós não existimos em tempo ou espaço, não possuímos um período que seja, nós nos permitimos momentos soltos e que ficaram em lembranças vagas na sua mente. Segredos guardados que prefiro enterra-los, não suporto conviver com a existência de tais.
      Você me fez derramar algumas poucas lagrimas, porém muito dolorosas. Sinto meu corpo tremer, meu olhar não se levanta, meus olhos estão cheios de lagrimas prontas para escorrer, e mesmo assim não quero que me veja de tal forma, para não sentir culpa. Um dia será tarde de mais, só temo que quando esse tarde de mais chegar você não sinta saudade.. eu e toda a minha imaturidade!
      Esse excesso de inocência que ainda me prende a você, só pode, porque é exatamente ele que eu jamais quero perder. Tudo o que me torna tão menininha como dizem, e como eu odeio quando me chama de algo inha. Odeio o fato de parecer tão pequena, substituível e relevante na sua vida, odeio ainda mais que você seja tão presente na minha.
      Só uma coisa me conforta, a certeza de um fim nessa história tão bagunçada. Espero que esse fim não me mate por dentro como aconteceu uma vez, mas pelo o que vejo é o mínimo que posso esperar.