30 de set de 2010

Promessa quebrada


A dor da agulha traçando o desenho a dava êxtase, seu corpo se enchia de prazer. Mais uma promessa quebrada, mais um laço rompido e assim seria até sua ultima jura. Agora ela se completava sozinha e a aqueles que desejem ser seu yin ela só lamenta, ele já fora ocupado pela sua própria razão.
O gosto de todo aquele momento a fazia rir, a dor do sangue em gotas deixando sua veia, o barulho agonizante feito pela agulha, aquele era o seu momento, ela estava traçando o seu destino.

28 de set de 2010

Mensagem enviada

Seus dedos ágeis, rapidamente teclaram a mensagem, o numero foi inserido e o enviar fora pressionado com força. O celular foi jogado pro lado e caiu no assoalho do banco do passageiro com violência. Ela aumentou o som "Sweet Child O'Mine", na estrada podia se ver um Chevy Impala 1967 preto em alta velocidade, a garota que o dirigia não prestava atenção em nada, queria apenas sentir sua liberdade, com o cigarro aceso ela tragou, a fumassa que ela assoprou em direção ao seu acompanhante inesistente saiu com facilidade, isso a deixara mais calma agora, ela não queria voltar e não iria fazer meia volta, ela não fazia promessas mais, ela não viveria de juras nunca mais. Na tela do celular sem atenção então apareceu "Mensagem enviada", agora não haveria volta



Ele estava sentado admirando a beleza do verde a sua volta, sentado sobre uma toalha de piquenique enquanto sua namorada ao longe ria e brincava com seu cachorro, tudo estava perfeito, até que um bipe o despertou. O numero o fez desesperar, suas batidas se tornaram urgentes e com falhas, ao ler o que estava escrito uma unica lagrima escorreu do olho esquerdo sem provocar dor. Ele sabia que isso seria assim, somente adiou o maximo que pode. Na tela fica a mensagem aberta “Emmet, nós nos perdemos, e você jurou cuidar de mim, nunca me deixar, você segue um caminho que antes ja foi tracejado, um destino o qual não tenho o direito de te impedir, seja feliz, eu te amo meu melhor amigo, meu be.”

27 de set de 2010

..até logo meu amor.


Eu sentia o sangue esvaziando o meu corpo, ele amolecia apoiado na minha cama, meus sentidos aos poucos erravam a direção e iam tonteando, como se estivesse bêbada eu sentia perder o momento. Tudo estava se apagando, tudo estava tendo um fim, pelo menos tudo estava me fazendo sentir bem. Eu sentia com forte presença ainda o gosto daquele ultimo beijo mal dado, o toque da sua mão sobre a minha pele dormente e seu cabelo sedoso encostado sobre minhas bochechas coradas. Pelo menos eu não iria sofrer, o medo foi maior do que eu mesma. Deixei-me vencer pelo temor de simplesmente me apaixonar de novo, assim seria pura covardia eu sei, mas não suportaria mais nenhum dia de angustia, minha vida já fora permanentemente marcada por eles para que eu os vivesse novamente. Tudo foi ficando escuro até que escutei batidas abafadas pouco destantes de mim.
-Priscila abre a porta! – a voz dele me chamava, mas era tarde de mais, eu já havia tomado a minha decisão.
Minha roupa era manchada pelo tom vermelho vivo, meu coração desacelerava as batidas e os gritos foram abafados por um zumbido calmo e leve, que me levou a um Adeus. minhas mãos soltaram o celular antes preso por dedos flacidos.

Assim que abri a porta não podia acreditar no que vira, era ela, estirada na cama o sangue formava seu contorno, meus olhos marejaram de uma dor única, esse fora seu fim e tudo por minha culpa, ela só merecia alguém de verdade, eu me deitei sobre seu sangue e fui tomado pelo forte cheiro de ferro, ignorei tudo em minha volta. Ela já não tinha mais pulso eu havia perdido minha vida, meu mundo girou em torno de uma sombra, como se tudo o que eu tivesse visto tivesse se apagado como um blackout. No seu celular mal prendido entre dedos soltos e sem vida estava escrito um ultimo recado, “Desculpas Bruno, por ter sido medrosa de mais”, ela estava enganada, ela foi corajosa de mais e eu não a abandonaria não faria o mesmo que o meu irmão. A tesoura agora estava em minhas mãos então com o tempo meus sentidos foram se apagando e meu sangue se misturando ao dela, fiquei ali deitado ao seu lado abraçando seu corpo, e sussurei em seu ouvido sem esperar resposta "Até logo meu amor".

23 de set de 2010

Equivoco


Desejo sorrir, mas não a risada que eu tenho esboçado. Eu quero sonhar de novo, quero prever meu futuro, evitar escolhas equivocadas mais agir com emoção. Eu sinto vontade de cometer delitos, de acertar, de errar, mas tenho uma imensa vontade principalmente de flutuar sobre um tapete de veludo com um tom azulado. Não quero me arrepender, mas o medo tem voltado a mim, em uma insistente visita que sempre volta, mesmo que cercada pelo escuro, tenho vivido a margem de uma luz fraca e irreal.

20 de set de 2010

Sentidos aguçados

Mantenho-me nesta inércia, um dia eu rio e no outro caio entre lagrimas, pela primeira vez sinto vontade de viver na terra. Errar é normal, mas tenho cometido uma serie de delitos, mereço ser punida, mereço que me torturem pelos meus atos. Não fiz promessa ou jura, mas um compromisso de coração, minha honra está em jogo, e isso é algo que não me dou o direito de perder.
Meu olfato se torna sensível a um perfume nunca inalado, minha boca se enche de água a um gosto nunca experimentado, eu vivo de toques nunca permitido as minhas mãos, eu queria poder me repartir, entre o dever e o querer. A minha decisão sempre foi afim de todos, menos de meus risos, eu tenho o direito de decidir por mim mesma, em prol de que agora os olhos que brilhem sejam os meus, e não de amargura, mas de felicidade.

19 de set de 2010

Farsa

Todos já viveram uma ilusão, uma ilusão bem elaborada, bem ensaiada aos olhos alheios, porem o coração e a mente giram em torno da realidade, examinando seus passos, prevendo suas ações, mas mesmo que bem ensaiado sempre existem deslizes que trazem a tona todo o mundo imperfeito em que vivemos.
Quando a ilusão acaba é o melhor sentimento que existe e você se sente livre, porem enquanto ele persistir vai haver cautela, exageros e sempre o medo.

18 de set de 2010

Navegante


Sinto vontade de contar toda minha vida, meu tão mundo real, meus atuais verdadeiros sorrisos. Minhas histórias tristes com lagrimas de sangue espero ter deixado para traz, mas não quero apagá-las por completo, quero que sempre existam e que ainda tenham muitas por vir. Mas não consigo, existe algo dentro de mim que ainda não foi despertado, talvez a êxtase por histórias com finais abertos, com finais tristes porem esperançosos ainda permaneça aqui. Tenho risos, brincadeiras, tenho um sentimento tão bom e novo pra comentar que não consigo descrever em palavras.
Tudo tem sido tão confuso, porem não paira mais uma sombra em mim, o sol brilha de forma intensa, poucas seriam as pedras no caminho, mas não existe graça sem obstáculos. Os olhos negros e reluzentes, a boca fina e rosa clara, seu cabelo escuro como uma noite sem estrelas, nunca determinei nada em minha mente, porem se fosse possível com certeza eu pensaria naquele que me abraça de forma tão aconchegante. Temo tanto errar, sei que é algo natural, mas não posso me permitir a esses contratempos. Está tudo calmo de mais, a estabilidade do barco me deixa em alerta, o mar tem se mantido bondoso além dos meus pedidos. Temo o agora mais do que o amanha, tenho medo de cometer deslizes, mesmo que bobos, com conseqüências drásticas, só quero ter a certeza que eu estou escrevendo isso de verdade, e não que daqui alguns minutos eu acorde de um sonho, ou pesadelo.

16 de set de 2010

X

Com os olhos marejados de lagrimas, ele se sentou em frente a ela, os poucos segundos em que ele demorou pra tomar essa decisão na realidade foram como uma eternidade.

-Porque X? Não sou bom o suficiente pra você?

O coração da garota que já estava todo remendado perdeu o efeito dormente e se partiu mais uma vez. Como ele não podia entender ela? Fora ela quem ficou noites em claro esperando uma ligação, ela que tomou todas as decisões inclusive o primeiro “Eu sou apaixonada por você” saiu de seus lábios com sua voz trêmula e vergonhosa, agora ela estava sendo julgada por seguir em frente por alguém que não tinha esse direito.

-Muito tempo meu coração foi só seu, e veja hoje ele mal bombeia o meu sangue, por mais tempo do que eu deveria, insisti em algo sem uma palavra alegre. Agora eu posso sorrir, trocar os abraços a um travesseiro molhado por braços em que eu me encaixo com aconchego. Você agora é meu passado.

Ele agora dizia “Eu te amo muito, eu te amo de verdade, X eu te amo”, mas sua resposta foi apenas um eco vazio, agora ela iria sorrir e iria viver tudo o que perdeu por muitos meses. Duvidas se manteriam freqüentes sobre seu passado, respostas não aceitas e ela sabe, mas não á do que arrepender-se, foi bom enquanto durou mais pra tudo existe um fim.

Ela disse um adeus com firmeza, ele abaixou os olhos e pronunciou o mesmo, mas podia se sentir o corte profundo que isso fazia ali, agora ele experimentava o próprio veneno. Isso já durou tempo de mais, muitos finais elaborados e nenhum deles fora consumado. Não posso te afirmar que é algo eterno, mas te digo que agora a distância entre os dois está maior, ele está vendo que perdeu por seus próprios erros aquela que esteve ao seu lado, da forma mais fiel que pode.



14 de set de 2010

Amizade.


É como se de alguma forma tudo estivesse interligado, sinto-me tão mal por estar bem. Quando antes eu sofria por saudade e amor, você sorria sempre e dizia pra que eu criasse esperanças. Preferiria que agora fosse eu tragar esses cigarros, seria mais agradável que eu sentisse vontade de fugir ou colocar um fim em mim mesma do que te ver nessa situação. Sinto-me angustiada por não poder fazer nada, mesmo que lhe proporcione alguns poucos sorrisos e gargalhadas em um dia, nunca são o suficiente pra te fazer feliz novamente.

Eu queria voltar o tempo e derramar todas aquelas lagrimas novamente, o coração apertar sobre uma pressão insuportável, voltar a não sorrir do que te ver assim. Amiga tudo que eu quero é te ver bem, e tem sido tão difícil te ver em crise, em seu canto escuro aonde se esconde, eu sinto falta da garota de gargalhadas estéricas, apelidos hilários, conversas sem noção aonde ela vivia uma vida patética porem ela a vivia com mais alegria.


11 de set de 2010

O céu e o inferno



Vivo em uma eterna variante, flutuo entre o Céu e o Inferno, é um conflito dentro de mim mesma que não parece ter fim, e não terei, disso eu tenho certeza. Um turbilhão de emoções divergentes tem me tomado. Em um único dia posso viajar diversas vezes entre os dois planos, bom, pelo menos agora eu posso visitar o Céu.


Meu verdadeiro lugar seria na Terra, uma constante, mas isso não me faria feliz nem triste, não iria rir nem chorar, me apaixonar ou sofrer por amor. Essa seria uma vida sem ser vivida, totalmente patética e egoísta, está seria a vida que eu nunca iria querer. Chorar e sofrer me tornam mais forte, e sorrir me faz ter esperança, acho que já me tornei forte o suficiente para ter fé em mim mesma. A inércia do definido não me afeta, meu destino talvez seja esse, ou talvez eu esteja ditando-o. Não temo mas o amanhã já que agora vôo entre nuvens.


8 de set de 2010

Sufoco

O ar não enche os meus pulmões. Sinto-me sufocada por essa angustia. Meu coração apertado sente como se estivesse entre uma encruzilhada de lanças de onde não tem saída. Não adianta pedir socorro já que a voz fugiu da minha garganta, o único que tenho escutado e o zumbido intenso do nada, eu só queria abrir os olhos e me ver em minha cama, queria acordar e ver que tudo não passa de um pesadelo.

6 de set de 2010

floating


Pela primeira vez depois de mais de um ano ela se sentará na sacada e estava admirando a lua e todo o seu esplendor, o seu amarelo convidativo e seu tamanho provocante, em seus ouvidos ela tinha o som tranqüilizador da musica flutuante que a fazia viajar. O céu brilhava com milhões de pontos de luzes, o seu sorriso se abria, era um sorriso inocente como de uma criança em véspera natalina que ganha o presente desejado. Todos ouviram seus suspiros agoniados, todos ouviram suas risadas de felicidade pelo decorrer do dia que estava sendo fechado.
Podia não ser muito, podia não ser algo o qual ela tinha certeza, algo concreto aonde ela sabia aonde chegaria, mas com certeza seria algo bom, seria algo do qual ela nunca se arrependeria. O som embriagava seus ouvidos e suas mentes com delírios que a agradavam, seu corpo flutuava sobre um oceano congelado, ela podia sentir o formigamento e a êxtase que isso provocava, ela podia sentir o estouro de vida dentro de si mesma, é como se tudo retomasse sua devida cor. Mas não se engane, um sorriso cativante e inocente pode esconder muitas coisas.

2 de set de 2010

Tormenta

Minha cabeça atormentada por medos os quais eu já não controlo, a raiva me consome como o fogo consome o oxigênio a sua volta. Preciso de um anestésico que me leve a flutuar. A falta de confiança, a falta de tolerância tem me levado ao extremo, e tudo por algo que nunca valeu a pena viver. Meu fim é declarado, não suporto mais a ignorância de tal dor. Preciso respirar e me acalmar, mas tenho me tornado patética de mais a ponto de magoar a todos que estão a minha volta. Sinto que vou explodir, sinto que a loucura me domina.

Eis o prometido

Será que ela não tem coração? Sua cabeça girava em torno de perguntas que não havia resposta.
-Tenta entender Thiago, tudo que eu quero agora é me encontrar sozinha.
A voz dela que antes soava como sinos que o encantava, agora o partiam pela metade como se ela não tivesse sentimentos.
-Porque Marina? Tudo que eu quero é uma chance.
Mas a decisão havia sido tomada e ele sabia disso, promessas não cumpridas, sonhos não vividos, eram esse o caminho a se seguir, ela o decidira.
-Desculpas Thiago, mas pra nós nunca houve hoje e não pode haver amanha.
O combinado mal comprido, o exigido sem resposta satisfatória, eles seguem seus caminhos.

1 de set de 2010

Não ter você

Sinto-me tão bem, posso ouvir as batidas do meu coração, minha respiração calma e constante, o vento balançar os fios soltos de uma trança bagunçada, posso sentir a liberdade de volta, posso sorrir sem temer te ver. Posso dizer enfim, eu me apaixonei por você, menos do que dizem mais do que acreditei ser possível, mais a paixão também tem um fim, e esse é o seu. Meu caminho agora eu dito, minha vida posso viver, agora eu POSSO voar de verdade.
Dói te ver, mais dói menos por não te ter. O calor de tudo que eu congelei agora é liberado e isso você não pode mais destruir.