22 de jun de 2010

Hey, eu te amo tá?


Talvez essa declaração nunca precisasse ser pronunciada, talvez esse sentimento nunca precisasse ser sentido, e talvez ela nunca devesse ter acreditado. Sonhos perdidos num tempo que nunca chega e nunca passou, devaneios perdidos da razão, momentos soltos no ar sem poderem ser alcançados, tudo isso é o que restou do “ele” pra ela. Mesmo que tão pouco, foi o mais intenso, mesmo que tão longe do físico foi o mais próximo do verdadeiro, mesmo que nunca mais vai ser o único pra sempre. sz'

Nenhum comentário:

Postar um comentário