27 de set de 2011

Respirar

Tem sido uma tortura viver, o simples ato de respirar me fere. A cada batida do meu coração, a cada pulsar de sangue pelas minhas veias eu consigo sentir a dor emanando de mim, e temo por não conseguir conte-la mais. A solidão tem feito isso comigo, a cada dia tem sido mais difícil viver.
 Sempre que abro os olhos imploro para acordar de verdade, e quando os fecho me pergunto se enfim serão lacrados pela falsa eternidade. Tremores me dominam em meio ao vazio mórbido em que vivo, a falsa sensação de obrigação e o que tem me feito lutar. Gostaria por um dia acordar e observar uma leve fenda em meus lábios, em frente naquela moldura que reflete um exterior falso.
 Enquanto vivo calada, com olhos opacos e em eterno silêncio posso ouvir sorrisos e gargalhadas abafadas as quais não consigo me ligar, pelo simples fato de não conseguir viver mais nada. Não imploro por companhia, pois compaixão seria o meu último fio de existência. Implorar seria me martirizar com verdadeiros cortes em meu corpo. Só gostaria de entender aonde me perdi, e o que eu perdi nesse longo percurso. Um percurso em que temo que seja mais um mártir que um presente, um percurso que não vivi nem um terço. Então rumo a minha vida e seus questionamentos que sei que não serão respondidos, pelo menos por agora.

Um comentário:

  1. Desculpa, desculpa mesmo. Sério. Eu tentei ler, mas apenas ficou na minha mente "é de amor" . Sabe,rs.
    Gostei :}

    ResponderExcluir