24 de jul de 2010

Esse é o nosso fim.


As batidas aos poucos se acalmam dentro de mim, pelo meu rosto escorrem lagrimas de sangue, feridas reabertas, cortes novos. Eu sinto como se não tivesse mais controle sob mim mesma, meu corpo não responde, minha cabeça se tornou desorganizada, minha mente agora vaga em meio a devaneios, meu coração sofre sob uma pressão nunca sentida antes que parece não acabar. Eu sinto como se o alivio fosse apenas o fim, mas a luz da lua me ilumina e me ajuda há esvaziar um pouco tudo isso dentro de mim, o céu mesmo que ainda negro tem se tornado mais claro pra mim. Eu posso vê-los longe de mim, aonde não posso tocar, mas o único que estende a mão pra mim e aquele o qual eu não quero acompanhar alguém está de costas, eu estico a minha mão para alcançá-lo, para tocá-lo e puxar ele para perto de mim, mas está perdido de mais, a neblina entre nos é mais densa do que imaginava. Meu corpo queima como se estive mergulhado em um oceano congelado, mas por dentro eu sinto que queima como se estivesse jogada em uma fogueira. As chamas e o gelo de um único sentimento me consomem de forma intensa de mais, me dominam e eu não posso me livrar, eu estou gritando pra ele, por que ele não me escuta?

2 comentários: