4 de mai de 2010

Eu te amo


Eles eram totalmente diferentes, enquanto ele era o lider do time de futebol, os professores o criticavam. Ela era a menina que os professores admiravam, marcada no tornozelo direito uma corrente quebrada com borboletas voando em volta, uma flor de lótus vermelha em seu ombro esquerdo. Seu jeito de vestir chamava atenção com vermelho e preto predominando, onde passava era notada e as pessoas comentavam.
Embora ele fosse o garoto exemplo e o popular do colégio enquanto ela era a garota complicada e que todos evitavam, eles se completavam. Diferentes das lideres de torcida que antes o acompanhava ela era real, e dos garotos com piercing por todo o rosto que a abraçavam ele era verdadeiro. As coisas não precisam ser "pré-definidas", não podem ser decididas assim por estereótipos. Pela primeira vez ele não se sentiu bajulado, e pela primeira vez ela sentiu que tinha um lugar. Enfim eles puderam pronunciar e escutar um "eu te amo" que nao fosse ficção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário