11 de out de 2010

Amanhã inexistente




Ela atende o telefone olhando pro nada, como a vida é tão sutil nessas situações. O celular já queimava sobre sua orelha, a voz dele de tom calmo podia se perceber algumas garrafas, e uma dose de coragem tomada.
-Não se engane quanto as historias e nem mesmo os seus personagens, você pode ter feito parte de algum capitulo, e ouso dizer alguns, teve extrema importância mas não é tanto. Você age como se eu girasse em torno de seu circulo, isso me provoca repugnância, seu abraço pode ainda me ser reconfortante mais querido, não acredito em amanhã, ainda te quero porem não sei bem como.
O celular deu seu último sinal, a bateria havia acabado ele caiu ao chão se espatifando em três partes. Tudo precisava ser esclarecido, mas era sua escolha seguir para onde quisesse. Algo a chamava para correr, pular, e seguir um caminho novo, ao longe ela viu um carro estacionado, dentro dele havia três garotas e um garoto, eles a chamavam. Uma das meninas sorria como ninguém, seu estilo era único e sua alma era a mais transparente que ela conheceu uma das outras meninas que estava atrás na janela direita sorria como uma patricinha voltando de suas compras, a outra que sentava na outra janela com os lábios abertos e repuxados pra cima de forma tímida, o garoto loiro de cachos, chamava por ela, uma ação a não ser repensada, ela entrou no carro deixou tudo para traz e seguiu seu caminho, fora embora, ela só queria viver sem compromissos, então não se engane, pra ela não há amanha.

Um comentário:

  1. Minha alma pode ser transparente para você amiga que me conhece como ninguém mas n é pra todos, fico feliz em saber que vc me ve assim, e se sorrio tanto é por vocês meus amores ! Te amo demais Baby Jelly !

    ResponderExcluir