19 de abr de 2010

Destino final


É incrivel como o tempo passa e mesmo assim nos mantemos tão indiferentes em relação as coisas que mudam a nossa volta, agimos como se não fosse fazer diferença, e talvez não fassa de imediato, porque mais para frente muitas coisas vão ficar diferentes. Quando você altera o caminho do colégio pra casa, durmir em vez de ver tv, mudar uma unica coisa no seu dia, quando você decide fazer algo diferente, você está alterando sem ver o resto do seu dia, alterando a ordem do que vai acontecer. Talvez nada drastico vá ocorrer, talvez você vá se arrepender e talvez esse minimos detalhes vão te fazer ter o dia mais feliz.
Nós nem mesmo nos damos conta de como as coisas estão ligadas a minimos detalhes, como você pode escolher o seu futuro, mas algumas escolhas precisam ser feitas as cegas e isso é o que mais te assusta. Te assusta não poder saber o que vai acontecer, a cada tentativa de tentar programar o dia algo sai diferente, que seja nos colégios quando algum professor falta ou você sai de sala, que seja em casa que você chega e não tem ninguem ou que você esteja passando mal. Nós e nossa eterna mania de querer saber tudo, o que nos aguarda, o que nos espera, sem saber que caso descubrirmos poderemos perder tudo que ainda nao conquistamos.
Não podemos programar nossa vida com total certeza, porque sempre vai ter algo de diferente acontecendo, o pneu do carro que fura, acordar atrazado num dia de prova, comer algo que te fez mal, desencontrar com aquele alguem que você tanto queria ver. Nossa vida e feita de escolhas, todas muito importantes, algumas dependem de um certo tempo e esforço, enquanto outras dependem de um simples decisão do nada. O problema é que não sabemos o que vai vim, podemos ter espectativas e nunca certezas, mas e assim e sempre vai ser, não ia ser agora que ia mudar e nem mesmo tem como. Quando você decidiu ler esse texto fez a sua escolha, isso pode afetar muito ou pouco, eu não sei, mas tente esperar o melhor. Nos não sabemos o nosso destino final e isso é imutável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário