21 de abr de 2010

Our destiny



Eu deixei vestigios pra você me procurar, mas você não procurou. Você passou por eles sem ver, você simplesmente os ignorou, passou reto como se nunca tivesse existido nada, antes que o sol se ponha eu sei que você vai lembrar como formavamos dois. Você me deu tudo que eu sempre quis e agora simplesmente me ignora. Você passa por mim e nem me vê mais, eu ainda sinto seu calor em minha volta enquanto você passa por perto como se nem me conhecesse.

Minhas noites agora me atormentam, minha vida agora eu já nem vivo mais. Já nem sei o que que eu fasso, se eu durmo tenho pesadelos, se eu fico acordada eu vivo meu próprio pesadelo. Seu cheiro fica na minha mente, seu gosto eu ainda sinto na minha boca, mas eu ja nao tenho mais a sua presença. Você me faz tanta falta, mas a gente vai aprendendo a seguir em frente, erguer a cabeça e continuar respirando.

Dois dias depois.
Eu havia programado meu dia todo, precisava estudar e era a unica coisa que eu faria. Me sentei diante do meu fichario aberto, diante dos meus livros, eu ainda tinha muitas contas para fazer e muitos textos para traduzir. Meu celular toca, não consigo acreditar no numero que eu vejo aparecendo na tela, eu so poderia estar sonhando mesmo que isso nao se parecesse em nada com um sonho.
Não sabia se dessa vez seria um pesadelo aonde o que eu escutaria ou veria iria me fazer chorar, ou me levaria a sorrir, acontece que sonhos são sempre sonhos e acabam quando a gente acorda. Porque não arriscar? O celular reclamava, gritava pra mim, eu precisava atender. Apertei o botão verde e levei ao ouvido.
- Alo? - Eu disse com a voz meio trêmula.
- Ola Mila. Como você está? - Uma voz que fez meu coração vacilar, meus olhos se encherem de lagrima e meu corpo ficar fragil.
Assim foi, conversa vai e vem, lagrimas escorrem, perdões são aceitos, palavras não são ditaa e exatamente aquilo que me faz sofrer de novo, eu queria que fosse um sonho para poder pronuncialas e depois esquecelas, mas eu queria que nao fosse pra poder viver aquilo de verdade. "Então você ta disposto a ficar comigo, ta disposto a deixar seus momentos de fraqueza por mim ?" Não era um sonho e eu era covarde de mais pra falar, desliguei o celular com um tchau mau pronunciado, trêmulo e resentido, fechei os olhos e me forcei a cordar.
Eu forçava a me ver levantando da minha cama com cabelo bagunçado e o rosto cançado de mais uma noite mal dormida, não, eu me vi diante do meu fichario com lagrimas escorrendo no rosto e meu celular na minha mao e a ultima chamada era dele, eu realmente havia falado com ele. Eu tentei fugir dele, tentei fugir de mim e voltei pro mesmo lugar de antes, voltei pro mesmo começo ou pro mesmo fim ja nem sei. Agora tenho problemas de mais pra resolver, eu quero o cara de antes. Eu tive coragem o suficiente pra me decidir, só falta agora a coragem suficiente para não ter medo.


Ps. Ani amei teu texto *.* ajudo e mt. Mih bgd pelos conselhos *.*

2 comentários:

  1. "Então você ta disposto a ficar comigo, ta disposto a deixar seus momentos de fraqueza por mim ?" rs, por nada minha Lí, pra sempre eu protegerei você <3

    ResponderExcluir
  2. que liiiiindo, eu também amei o teu *-------*
    tá demais mesmo! adorei! amei, divo s2
    obrigada por ler meu blog :]

    ResponderExcluir