2 de set de 2010

Tormenta

Minha cabeça atormentada por medos os quais eu já não controlo, a raiva me consome como o fogo consome o oxigênio a sua volta. Preciso de um anestésico que me leve a flutuar. A falta de confiança, a falta de tolerância tem me levado ao extremo, e tudo por algo que nunca valeu a pena viver. Meu fim é declarado, não suporto mais a ignorância de tal dor. Preciso respirar e me acalmar, mas tenho me tornado patética de mais a ponto de magoar a todos que estão a minha volta. Sinto que vou explodir, sinto que a loucura me domina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário