20 de set de 2010

Sentidos aguçados

Mantenho-me nesta inércia, um dia eu rio e no outro caio entre lagrimas, pela primeira vez sinto vontade de viver na terra. Errar é normal, mas tenho cometido uma serie de delitos, mereço ser punida, mereço que me torturem pelos meus atos. Não fiz promessa ou jura, mas um compromisso de coração, minha honra está em jogo, e isso é algo que não me dou o direito de perder.
Meu olfato se torna sensível a um perfume nunca inalado, minha boca se enche de água a um gosto nunca experimentado, eu vivo de toques nunca permitido as minhas mãos, eu queria poder me repartir, entre o dever e o querer. A minha decisão sempre foi afim de todos, menos de meus risos, eu tenho o direito de decidir por mim mesma, em prol de que agora os olhos que brilhem sejam os meus, e não de amargura, mas de felicidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário