27 de jun de 2011

Dia frio


O dia está frio, e meu corpo está reagindo. Tão doce todo esse tremor, ele me faz esquecer do medo. O frio é um doce sinal do inverno. A pele marfim vem se cristalizando e se tornando mais branca com o declínio da temperatura. Em minha cama, admiro o tão plendido teto branco. A cada trago eu vejo a minha amarga realidade, a solidão. Eu estou sozinha na multidão, eu estou sendo devorada por dentro. Meus verdadeiros amigos não estão caminhando comigo, apenas os falsos egoístas que sorriem e não entendem o verdadeiro prazer de viver. Pego-me escrevendo textos em meio às aulas, mas não tenho mais a quem pedir opinião, todos a minha volta estão muito ocupados. Ao meu lado uma luz brilha, a mensagem foi enviada. Ao perceber o vago clarão encosta meu rosto, mais um trago. Que a nostalgia me domine, já não sei se vou ter resposta.Eu pesso, eu imploro por mais um dia frio. Ei doce sorriso maroto, não se engane quanto aos meu vicios representados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário